Aonde estão nossos jovens #millenials?

Atendo muitos #jovens em início de carreira, fazendo a primeira #escolha #profissional e ainda no meio da faculdade com conflitos sobre a opção realizada. Faz parte da trajetória profissional o questionamento e as dúvidas. As opções cada vez mais amplas aliadas às mudanças do mundo trazidas pela tecnologia, geram sim uma dificuldade nas escolhas e, é importante fazer um trabalho de autoconhecimento e reflexão.


No entanto me dirijo a outro ponto neste momento. Nos últimos meses tive a oportunidade de estudando fora de o país, conviver com jovens que fizeram escolhas muito diferentes, falo de idades entre 18 e 25 anos, conheci vários millenialls atuando como executivos, conheci mães de 3 filhos já aos 24, trajetórias diversas que naturalmente tem em cada situação suas dúvidas e questionamentos mas, trazem em primeiro lugar a ação, o movimento, a busca da própria vida e #identidade. Há muito tempo esses jovens saíram das “asas” dos pais emocionalmente, financeiramente e de maneira ativa foram em busca da sua própria experiência. Vendo estas corajosas atitudes não pude deixar de refletir o quanto nossos jovens brasileiros estão sendo atrofiados pela falta de #estrutura, ao não ter segurança os que tem acesso à educação se concentram em bolhas condominiais e conseguem enxergar o mundo pelas frestas dos intercâmbios ou somente pela internet. Famílias apavoradas com as incertezas continuam a guiar seus filhos a buscar a segurança do emprego, do concurso e da estabilidade e, naturalmente surgem aí jovens adultos instáveis e inseguros que dormem e acordam com dúvidas e angústias existenciais que resumem em um tímido – “ Não sei o que eu gosto” , o que na verdade significa: “Não sei quem eu sou” , assim  não entendem quais as opções tem no mundo e não sabem escolher . Com isso preferem e acabam sendo incentivados a viver na zona de conforto. Muitos quando questionados sobre o que sonham para o #futuro, sobre  qual seria  seu  desejo para o gênio da lâmpada,  resumem  na palavras sucesso. Sim, e o que você vai fazer para chegar lá? Nenhuma pista! Nada a declarar sobre quais causas tem interesse , que temas gostaria de aprender e que marca e legado querem deixar no mundo.   Vamos estimular nossos jovens a ter experiências, a trabalhar e não só estudar, somente o estudo não é mais suficiente. Vamos levá-los a ver o mundo como ele é de fato. Vamos estimulá-los a abraçar causas e sair do vídeo- game, da rede social, do condomínio. Orientá-los a se conectarem com pessoas para que entendam que o esforço é no #sentido de um #desenvolvimento pessoal, do caráter, das virtudes . #Sucesso é ser #independente emocionalmente, é arriscar, é entender que para o sucesso é preciso também errar e não seguir somente uma trajetória socialmente pré-determinada que impedirá de ser quem você é. Sim, o mundo tem perigos, mas a maioria deles pode se tornar em uma única oportunidade de atuação e desenvolvimento. Sobre autora                                  Monica Barg - Especialista em Desenvolvimento Humano, coach com formação em Psicologia Positiva, Orientação Profissional e Psicanálise. Sou membro da ICF-RJ. Atuei por 29 anos na área de desenvolvimento de negócios, gestão de processos e pessoas, atendimento ao cliente, marketing, estruturação e treinamento de equipes comercias onde adquiri experiência em Gestão Empresarial e Relacionamento com clientes corporativos e C-Level. Alio a experiência corporativa à atuação como psicanalista e orientadora de carreira usando a capacidade de observação do cotidiano para o entendimento da necessidade do outro estabelecendo, de forma objetiva, o processo de gestão de pessoas e talentos. CONTATO: monicabarg.coaching@gmail.com Gostou deste artigo? Então curta, comente e compartilhe com sua rede!

© 2019 * Site desenvolvido por thalita.maiani@gmail.com

Créditos

images (4).jpeg